Caminho Traçado Meu bebê é filho do CEO Capítulo 156

Caminho Traçado Meu bebê é filho do CEO Capítulo 156

Capítulo 0156

Saber da possibilidade de Ethan estar se envolvendo com alguém a deixou desconsertada. Já fazia tanto tempo que gostava dele e não havia achado uma brecha para expor os seus sentimentos, não era justo que uma qualquer chegasse rapidamente e o roubasse dela.

Após a aula, decidiu conversar com ele.

Ethan o chamou, tocando em seu ombro..

O que foi? perguntou, não gostando daquela proximidade.

Eva sempre o abordava com contato físico, o que o deixava um tanto desconfortável, mas nunca dizia nada. Achava que, ignorando-a, ela mesma pararia com aquela atitude.

– Vamos almoçar juntos?

– Não vai dar, já marquei com outra pessoa.

Outra pessoa? – perguntou curiosa.

Isso mesmo..

– É da nossa turma?

Não é não. disse ele, pegando a sua bolsa e saindo da sala. Até mais.

Eva se despediu com um sorriso no rosto, enquanto via Ethan sair.

Depois, ficou ali, paralisada, tentando imaginar quem seria a pessoa com quem Ethan iria

comer.

Os dois eram acostumados a comer juntos, acompanhados dos outros colegas do grupo, dificilmente faziam alguma coisa sozinhos.

O que foi?

Melinda se aproximou, estranhando a cara da amiga.

– Nada, só estou aqui presa nos meus pensamentos.

É mesmo? Que tal dividir seus pensamentos comigo?

É coisa besta, é inútil ser dito..

– Por que você ficou com aquela cara quando te fiz a brincadeira por mensagem?

se do lado de Eva.

– Que cara? – fingiu-se de desentendida.

Uma cara do tipo: vou te matar! Fez gestos com as mãos, apertando o pescoço.

Que exagero, eu nem liguei para aquilo – respondeu.

Sentou-

Eva tinha uma personalidade muito manipuladora, sempre fazia caras e bocas, mas ao ser questionada por alguém, sempre negava que havia se ofendido.

Para as pessoas, ela era uma ótima companhia, pois sempre estava disposta a ajudar sem questionar nada. Na vista de todos, era considerada uma ótima amiga.

$15 BORAS

Mas o que as pessoas não sabiam, & que ela fluha um lado obscuro muito perigoso. Pingia se atga, mas só ligava para os seus interesses, e ficava no meio das pessoas, apenas para estar por dentro de tudo que se passava em sua volta.

Abraçou Eva.

Que bom, amiga. Sabe que eu só estava caçoando, né?

Naquele momento, Melinda não percebeu, mas enquanto abraçava a amiga, Eva fazia uma cara maléfica.

Eu não ligo para as bobagens que você fala

respondeu.

Cá entre nós, você não achou muito estranho o modo como o Ethan falou aquilo? Será que ele está gostando dela?

— Por favor, Melinda fez cara de escárnio. qualquer?

Mas ele disse que estão se conhecendo.

Acha mesmo que o Ethan iria gostar de urna

Isso deve ser alguma piada. Você verá que logo essa brincadeira de mau-gosto termir er á

Se você diz

comentou.

Devia se declarar para ele logo.

Mesmo assim, se eu fosse você, não o deixava tão solto assim.

Quanta baboseira, Melinda bufou nervosa.

competir com uma limpadora de chão?

Na sua voz, havia arrogância e muita prepotência.

Acha mesmo que vou ficar com medo de

Você está certa, amiga. Ele seria um louco por pensar em trocar uma Ferrari por uma bicicleta – riu, zombando de Charlotte. Vamos comer juntas?

Eva pensou em negar o convite, mas decidiu aceitar.

Talvez, se andasse depressa, poderia acompanhar Ethan e o seguir, para saber onde e com quem ele iria sair.

Vamos sim- disse, se levantando rapidamente, puxando Melinda pelo braço, fazendo com que ela a acompanhasse.

-Ei, para onde estamos indo com tanta pressa? – Melinda perguntou, estranhando sua mudança brusca de comportamento.

Cala a boca e vem logo! ordenou.

As duas caminharam pelo corredor da faculdade. Melinda acompanhava a amiga, que andava com passos largos, como se

Stivesse correndo.

Chegando ao lado de fora, acabou esbarrando o nariz em Eva, que havia parado de andar.

-Ai, meu nariz – tocou o náriz, fazendo expressão de dor. Por que parou assim de vez? Eva não reverberava nenhum som, pois estava paralisada, olhando para um ponto fixo. Curiosa com a situação, Melinda olhou para a direção em que Eva estava hipnotizada e acabou vendo Ethan caminhando ao lado da garota que trabalhava na limpeza do corredor.

-Oh, my God – Melinda disse, sem acreditar no que via. Aquela com Ethan, não é a

faxineira?

+15 BONOS

Por dentro, Eva estava prestes a surtar. Saber que Ethan recusou o seu convite, só porque iria sair para comer com aquela garota insignificante, a fez se sentir tão menosprezada, inferior e humilhada, que a sua vontade era gritar de raiva e socar a cara de todos ao redor.

Vamos comer.

Disse Eva, ignorando o comentário da amiga.

Por fora, o semblante do seu rosto continuava indiferente, como se nada a tivesse abalado.

Que tal seguirmos aqueles dois? – Melinda propôs.

Por que me submeteria a um papel tão idiota quanto este?

perguntou.

Mas, no fundo, tudo que queria era ir atrás deles e saber o grau do relacionamento que possuíam.

Não fala assim, apenas vamos ver se os dois pombinhos estão se dando bem.

Eu não vou – disse, caminhando em outra direção.

Por favor, Eva insistiu Melinda.

Fingindo ser vencida pela insistência da amiga, resolveu aceitar.

-Tudo bem, vamos falou. Mas foi você quem insistiu.

As duas seguiram Ethan e Charlotte até um pequeno restaurante que havia próximo à faculdade.

Tentando não deixar que ele as visse, resolveram se sentar num canto mais reservado.

Melinda parecia empolgada, sentindo que estava numa aventura, enquanto Eva continuava com o rosto enigmático, planejando muitas coisas em mente.

Ele tocou a mão dela – Melinda dizia, sem tirar os olhos dos dois.

Eva estava de costas para o casal, então esperava que a amiga descrevesse com detalhes tudo. que estava acontecendo, assim, não parecia uma mulher desesperada por um homem.

– Agora ele está sorrindo para ela.

Cada descrição que Melinda fazia, um sentimento ruim contaminava o coração de Eva.

– Ele acabou de colocar o cabelo dela atrás da orelha. Minha nossa, Eva, eles vão se beijar! Anunciou.

Chega! – bateu nervosamente com a palma da mão na mesa.. assunto está me deixando sem apetite.

Eu não vou ficar aqui, esse

Não dizendo mais nenhuma palavra, Eva se levantou e saiu dali, sem olhar para atrás.

Caminhando em direção ao estacionamento da universidade, destravou o seu veículo e entrou no mesmo, saindo dali em alta velocidade.

Precisava pensar num jeito de fazer Ethan desencantar daquela mulher, mas para isso, precisava entrar no território inimigo e conhecer a oponente, com quem estava prestes a começar uma guerra.

 

 

Caminho Traçado Meu bebê é filho do CEO por Célia Oliveira

Caminho Traçado Meu bebê é filho do CEO por Célia Oliveira

Score 9.6
Status: Ongoing Type: Author: Artist: Released: Feb 27, 2024 Native Language: Spanish
Leer Caminho Traçado Meu bebê é filho do CEO por Célia Oliveira - Rafaela, em busca de deixar para trás seu amor não correspondido pelo antigo chefe, o doutor Tácio Duarte, decidiu começar uma nova vida em Nova York. Instalada em uma área privilegiada da cidade e com um trabalho seguro, quase tudo parecia perfeito em sua vida, exceto pela falta de um amor verdadeiro. Após ser transferida de departamento de forma inesperada, ela se viu trabalhando para um novo chefe, repleto de peculiaridades. Em uma tentativa de distração, Rafaela decide sair com uma amiga para um bar. Lá, ela se depara com um homem irresistível, que desperta emoções há muito adormecidas em seu coração. Uma conversa envolvente, alguns drinques e uma noite memorável fizeram-na acreditar que o amor poderia estar novamente ao seu alcance. Contudo, seus planos desmoronam quando ela descobre que o homem dos seus sonhos é, na verdade, seu novo e insuportável chefe.
Caminho Traçado Meu bebê é filho do CEO por Célia Oliveira

Sinopsis

Ciúme,Poderoso,Chefe CEO,Opostos se atraem,Grávida,Homem/Mulher,Romance,

Comment

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Options

not work with dark mode
Reset